quinta-feira, 10 de novembro de 2011

A Literatura em Perigo

Ontem li um livro que contribuiu muito para fortalecer minha visão sobre a importância da literatura em nossa vida. O livro A Literatura em Perigo, de Tzvetan Todorov trata-se de um livro tão prazeroso, que ao ler já esboçava um sorriso de satisfação. Deleite e felicidade mesclam-se para fortalecer uma nova compreensão sobre literatura. Logo no Prólogo, o autor expõe sua visão sobre a plenitude da literatura:

“amo porque ela me ajuda a viver. Não é mais o caso de pedir a ela, como ocorria na adolescência, que me preservasse das feridas que eu poderia sofrer nos encontros com pessoas reais; em lugar de excluir as experiências vividas... mais densa e mais eloquente que a vida cotidiana, mas não radicalmente diferente, a literatura amplia o nosso universo, incita-nos a imaginar outras maneiras de concebê-lo e organizá-lo... Ela nos proporciona sensações insubstituíveis que fazem o mundo real se tornar mais pleno de sentido e mais belo. Longe de ser um simples entretenimento, uma distração reservada às pessoas educadas, ela permite que cada um responda melhor à sua vocação de ser humano”.

A plenitude que é ser mais humano se torna possível devido a leitura de obras literárias. O interessante é que diferentemente das obras científicas ou filosóficas, os romances tem a possibilidade de convencer sobre temas polêmicos, e através da sua linguagem tornar-se mais convincente ao leitor. Entretanto, essas diversas formas de textos se complementam. Todorov deixa claro que prefere se apoiar no Iluminismo, pois este encaixa-se perfeitamente à literatura que deve ser ensinada em sala de aula, sendo o objeto da literatura a própria condição humana. Já a corrente formalista-niilista-solipsista produz uma imagem empobrecida da arte e da literatura. Para eles, a relação aparente das obras com o mundo é apenas um engodo. Durante o discurso, Todorov critica o modelo de ensino da literatura, julgando-o desinteressante aos olhos dos alunos. Esses não teem acesso ao envolvimento de uma leitura prazerosa, e desta forma pouco conhecem o poder da literatura.

“A literatura pode muito. Ela pode nos estender a mão quando estamos profundamente deprimidos, nos tornar ainda mais próximos dos outros seres humanos que nos cercam, nos fazer compreender melhor o mundo e nos ajudar a viver. Não que ela seja, antes de tudo, uma técnica de cuidados para com a alma; porém, revelação do mundo, ela pode também, em seu percurso, nos transformar a cada um de nos a partir de dentro”.


Todorov finaliza o livro declarando que nós adultos, devemos transmitir às novas gerações essa herança frágil: as palavras que ajudam a viver melhor. =)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário